Topo

Esporte


Autoridades prendem 33 em operação contra prostituição antes do Super Bowl

Saul Loeb/AFP
"Estamos nos assegurando de que estes criminosos não usem estes eventos (em referência ao Super Bowl) para a exploração dos mais vulneráveis entre nós", disse Kirstjen Nielsen, secretária de Segurança Nacional dos EUA (foto) Imagem: Saul Loeb/AFP

Do UOL, em São Paulo

2019-01-31T16:13:57

31/01/2019 16h13

Às vésperas do Super Bowl que define o campeão da temporada 2018 da NFL, autoridades dos Estados Unidos anunciaram nesta quarta-feira (30) a prisão de 33 pessoas envolvidas em denúncias de exploração sexual em Atlanta. A cidade receberá o jogo entre New England Patriots e Los Angeles Rams no próximo domingo (3).

Em entrevista coletiva, a secretária de Segurança Nacional dos Estados Unidos, Kirstjen Nielsen, afirmou que quatro vítimas foram resgatadas. Segundo ela, vários agentes de segurança seguem conduzindo operações, mesmo após as prisões.

“Estamos nos assegurando de que estes criminosos não usem estes eventos (em referência ao Super Bowl) para a exploração dos mais vulneráveis entre nós. Temos treinado negócios e entidades locais e estaduais para identificar sinais de tráfico (de pessoas)”, disse Nielsen, segundo o jornal New York Post.

Leia também:

De acordo com a publicação, “grandes eventos com o Super Bowl são conhecidos como um ambiente de rápido crescimento para a exploração sexual”. Jovens homens e mulheres são levados para cidades no período do jogo apenas para prostituição. A secretaria de Segurança Nacional dos EUA afirma que as prisões têm acontecido desde o fim de semana, mas não divulgou detalhes.

Em 2018, o Super Bowl aconteceu em Minneapolis e teve a vitória do Philadelphia Eagles sobre o New England Patriots por 41 a 33. Em operação semelhante, 94 homens foram presos durante 11 dias de operações.

Mais Esporte