Topo

Futebol


Conselho do Santos aprova mudanças e aumenta fiscalização em contratos

Ivan Storti/Santos FC
Imagem: Ivan Storti/Santos FC

Eder Taskini

Do UOL, em Santos

29/01/2019 22h13

O Conselho Deliberativo do Santos aprovou por ampla maioria, em reunião na noite desta terça-feira (29) na Vila Belmiro, o novo regimento interno do Comitê de Gestão (CG) - órgão que efetivamente toma as decisões juntamente com o presidente José Carlos Peres.

Leia mais:

Com o regimento, todos os contratos do Santos terão de ter em anexo a ata, registrada em cartório, da reunião do CG em que foi discutida a pauta. A ata deve conter a votação nominal de cada membro do colegiado, sendo vetado o voto secreto. Caso a ata não conste em anexo, o contrato não terá validade.

Além disso, todas as reuniões deverão ser gravadas e disponibilizadas no Portal da Transparência do clube, inaugurado no ano passado. O Comitê de Gestão, estatutariamente, deve ser reunir pelo menos a cada 15 dias.

A ideia é "apertar o cerco" sobre todo e qualquer contrato assinado pelo clube, seja de jogadores ou de funcionários. O regimento foi proposto pelo antigo membro do colegiado, Andres Rueda, que deixou o CG reclamando de não ter participado da maioria das decisões. Além dele, outros três membros saíram do colegiado desde o início do ano passado sob alegações semelhantes.

O estopim da crise no CG foi a contratação do zagueiro equatoriano Jackson Porozo, de 18 anos, no qual o vínculo previa que o Peixe repassasse uma parte de uma futura venda a uma empresa ligada a um funcionário do clube. Os membros do Comitê negaram que a decisão tenha passado pelo colegiado. 

Hoje o Comitê de Gestão do Santos conta com o presidente José Carlos Peres e outros sete nomeados: Pedro Dória, Matheus Del Corso, Anilton Peirão, Bruno Carbone, Paulo Schiff, Estevam Juhas e Fábio Gaia. O vice-presidente Orlando Rollo estava afastado das reuniões e pediu licença do cargo na última segunda-feira (28).

Futebol