Topo

Flu de Diniz contraria "primos ricos" e faz da repetição do time sua arma

Siga o UOL Esporte no

Leo Burlá

Do UOL, no Rio de Janeiro

18/03/2019 04h00

Na contramão dos milionários Palmeiras e Flamengo, Fernando Diniz não tem adotado o rodízio como regra número 1 para o Fluminense na atual temporada.

Sem a fartura disponível em alguns adversários, o técnico faz da repetição a sua arma e parece ter achado o seu time titular desde que Paulo Henrique Ganso estreou pelo clube.

Este time base inclui o uso do volante Caio Henrique na lateral-esquerda, a dupla de contenção formada por Airton e Bruno Silva, e o trio ofensivo que tem Luciano, Everaldo e Yony González.

"O mais importante é o que todos estão fazendo, que é honrar a camisa do clube. Os jogadores chegaram em boas condições de jogo, por isso usamos. Temos quatro dias até o jogo contra o Antofagasta, aí decidimos colocar todo mundo", disse Diniz.

A escolha por essa equipe tem incluído até partidas consideradas mais fáceis, mas o treinador tem apostado em quilometragem para dar a essa equipe o conjunto imaginado. A poucos dias de uma decisão precoce na Sul-Americana, o Flu titular foi a campo para duelar no empate por 1 a 1 contra o Botafogo.

Apesar desta escolha momentânea, o mais provável é que os tricolores vejam um time mais modificado no Fla-Flu do próximo domingo. Ante a maratona, jogadores como Allan, Nino, Ezequiel e outros devem ganhar mais minutos no clássico.

Com situação cômoda na competição regional, o Flu volta todas suas atenções para a disputa da Sul-Americana, torneio considerado prioritário no clube. Na quinta, a equipe encara o chileno Antofagasta, às 21h30. O jogo de ida terminou em um empate sem gols.

Fluminense