Topo

Futebol


Governo do Rio anuncia rompimento de contrato de concessão do Maracanã

Divulgação/Maracanã
Imagem: Divulgação/Maracanã

Gabriel Sabóia, Leo Burlá e Rodrigo Mattos

Do UOL, no Rio de Janeiro

2019-03-18T10:39:56

18/03/2019 10h39

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), anunciou o rompimento imediato com a concessionária do Maracanã. O mandatário alegou não cumprimento de contrato do Consórcio Maracanã S.A. e ressaltou que a Odebrecht, principal acionista do complexo, está implicada na Operação Lava Jato.

"Manter uma empresa condenada seria insustentável, a Copa América será realizada sem problema algum. É fundamental que tenhamos maior transparência nas despesas dos clubes com o Maracanã. Total transparência dos custos de operação do Maracanã. O que víamos era os nossos clubes preferindo jogar em outros estádios que, apesar de mais vazios, permitiam uma margem de lucros maior", disse.

Witzel afirmou que a Copa América não corre riscos e revelou que pretende levar a final da Copa Libertadores de 2020 para o local.

De acordo com o governador, débitos superiores a R$ 38 milhões --parcelas de outorga que não teriam sido pagas pelas empresas que compõem o consórcio desde março de 2017-- foram responsáveis pelo rompimento contratual. Além das dívidas, o abandono do complexo esportivo do Maracanã, além de frequentes reclamações dos clubes quanto à margem de lucro obtida em partidas com arquibancadas cheias foram responsáveis pela decisão.

No entanto, as cenas de violência vistas na parte externa do estádio no último clássico entre Fluminense e Vasco, quando torcedores puderam acessar o estádio durante a execução da partida, em função decisões judiciais para ocupações das arquibancadas, foram o estopim para a decisão. "Cenas como aquelas não podem se repetir. Também tenho recebido reclamações dos clubes e nossos estudos mostram que é possível aumentar a margem de lucro", afirmou.

A concessionária terá 30 dias para deixar a administração do estádio. Depois do prazo, o Maracanã voltará a ser administrado pelo estado, provavelmente através de uma PPP (Parceria Público Privada).Witzel afirmou que os clubes não terão prejuízos e que as próximas rodadas do Campeonato Carioca não serão afetadas.

Em nota, a empresa se disse surpresa com a decisão.

"O Complexo Maracanã Entretenimento foi surpreendido pela informação divulgada nesta manhã pela imprensa. A empresa informa que não teve acesso a nenhum ato oficial do Governo do Estado do Rio de Janeiro e se manifestará oportunamente".

Flamengo e Fluminense comemoram

Clubes que mantinham contrato com a atual concessionária, Flamengo e Fluminense comemoraram a decisão do Governo do Rio de Janeiro.

Veja as posições de Flamengo, Fluminense e Vasco:

- O Clube de Regatas do Flamengo parabeniza a decisão do Excelentíssimo Governador do Estado do Rio de Janeiro, Sr Wilson Witzel em cancelar a atual concessão do Maracanã

Esperamos que a nova licitação, corrija um dos grandes problemas do edital passado contemplando agora a possibilidade dos clubes do Rio de Janeiro participarem da administração daquele que é um verdadeiro templo do Futebol mundial.

- O Fluminense Football Club avalia como positiva a decisão do Governo do Estado do Rio de Janeiro e espera que, a partir de agora, os clubes passem a ter participação mais ativa na concessão e administração do estádio.

- O Club de Regatas Vasco da Gama está convicto de que a decisão do Governador do Estado do Rio de Janeiro, Sr. Wilson Witzel, que anunciou hoje o cancelamento do contrato de concessão do Maracanã, tem como objetivo a proteção do bem público e o fortalecimento do futebol do Estado.

Aguardamos os desdobramentos desta decisão e a oportunidade de debatermos com o Governo do Estado do Rio de Janeiro um novo modelo de gestão do Maracanã que contemple o interesse do Poder Público, da soeciedade, do futebol do Rio de Janeiro e, mais especificamente, do Club de Regatas Vasco da Gama.

Mais Futebol