Topo

Vasco

Insatisfação da arquibancada vira obstáculo para Valentim no Vasco

Siga o UOL Esporte no

Leo Burlá

Do UOL, no Rio de Janeiro

2019-03-18T04:00:00

18/03/2019 04h00

Os 13 jogos de invencibilidade e os números favoráveis na temporada não parecem suficientes para melhorar o clima entre a arquibancada e o técnico Alberto Valentim, do Vasco.

Seja por ser acusado de excessivamente defensivo ou por fazer escolhas muito questionadas em algumas ocasiões, o comandante enfrenta cada vez mais resistência de boa parte da torcida, que tem demonstrado estar com a paciência no fim.

Na derrota por 2 a 0 para a Cabofriense, a primeira do ano, Valentim foi o alvo preferencial dos torcedores que encheram o Estádio Kleber Andrade, em Cariacica, que chamou o profissional de "burro" e atiraram objetos em sua direção.

Para piorar, ele teve de ouvir os gritos a favor de Valdir Bigode, treinador da Cabofriense. Na primeira vez que enfrentou o ex-clube, ele apostou numa postura cautelosa para liquidar o rival em poucas descidas ao ataque.

"O importante é que eles não direcionem as vaias para os jogadores. A gente vai seguir nossa estrada. Eu estou começando minha carreira, mas sei como funcionam as coisas como treinador. Você é aplaudido, vaiado. Temos de seguir nossa caminhada", minimizou ele.

Essa não é a primeira vez que o desgaste fica exposto. Na vitória por 3 a 2 contra o Avaí, ele também conviveu com reclamações vindas da arquibancada de São Januário.

Após o jogo em solo capixaba, o Cruz-maltino volta as suas atenções para o duelo de quarta-feira contra o Resende, às 21h30, no Estádio Raulino de Oliveira. Com o título da Taça Guanabara assegurado, o time já tem vaga na semifinal geral do Carioca.