Topo

São Paulo se apega ao Brasileirão, mas vê Estadual escancarar problemas

Bruno Grossi

Do UOL, em São Paulo

18/03/2019 04h00

Fora da Copa Libertadores da América, em má fase no Campeonato Paulista e ainda sem contar com Cuca no dia a dia, o São Paulo passou a olhar para o futuro. Dirigentes se apegam ao Campeonato Brasileiro como o objetivo da temporada, argumentando que haverá tempo para reformular o elenco e encontrar um estilo de jogo nos treinamentos. Um discurso que pode até conter otimismo, mas que na verdade escancara os problemas do clube em 2019. O Tricolor ainda não tem forma.

Cuca será o terceiro treinador do time no ano. E o elenco já está cheio de falhas. Bruno Peres quase foi devolvido à Roma em dezembro, mas ficou e foi titular na Libertadores. Diego Souza foi artilheiro em 2018, seria banco de Pablo na visão de André Jardine, mas acabou escalado ao lado do reforço e logo depois foi negociado por não se encaixar no que pensa Cuca. Havia a necessidade de contratar um segundo volante. Miraram em Willian Arão, fracassaram e apostaram apenas em Willian Farias, que apesar de não ter custado nada é primeiro volante.

O meio de campo é o grande foco da fragilidade do planejamento são-paulino para esta temporada. Hernanes precisou jogar mesmo sem estar na melhor condição física. Nenê, que seria o reserva do Profeta, também foi colocado à disposição no mercado para atender às demandas de Cuca e enxugar a folha salarial. Mas como Hernanes agora está lesionado e será desfalque em jogos decisivos do Paulistão, o camisa 10 terá de assumir a bronca - desde que também se recupere de problema físico.

Se Nenê não puder enfrentar o São Caetano às 21h30 desta quarta-feira, o interino Vagner Mancini só terá o garoto Igor Gomes, de 20 anos, como opção para a armação. Outra alternativa seria usar Helinho, de 19, mais centralizado. A terceira via passaria por usar um meio de campo mais marcador com três volantes de pegada. O atenuante nesse último caso seria a volta de Liziero, que segue em recuperação de lesão.

Uma outra possibilidade seria retomar o esquema com três zagueiros, mas seria preciso também apostar em um jovem. Com Arboleda na seleção equatoriana, Bruno Alves e Anderson Martins teriam de ser acompanhados ou por Rodrigo ou por Lucas Kal, ambos com apenas dois jogos como profissionais no São Paulo.

Todos esses problemas mostram buracos na construção do elenco. É isso que Cuca tentará corrigir para o Brasileirão e também para a Copa do Brasil. Quer um segundo volante necessariamente e olha ainda para a lateral direita, armação e até duas peças para o ataque. Nenê, Bruno Peres e Jucilei são nomes que podem deixar o clube nessa reformulação que será feita às pressas, com a temporada em andamento e com o risco de carregar o peso de uma eliminação no Estadual.

O São Paulo pode avançar às quartas de final do Paulistão até se empatar com o São Caetano - para isso, o Oeste não pode vencer por quatro gols de diferença. É o único grande do Estado que ainda não se classificou. Também é o único que não venceu clássicos. E não chega à final do torneio desde 2003, quando perdeu para o Corinthians - em 2005 foi campeão, mas nos pontos corridos.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

São Paulo