Topo

Cruzeiro

Reforços entrosam rápido e Cruzeiro sente menos falta dos pilares de 2018

Vinnicius Silva/Cruzeiro
Imagem: Vinnicius Silva/Cruzeiro

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

2019-03-19T04:00:00

19/03/2019 04h00

Arrascaeta e Thiago Neves certamente estiveram na lista de jogadores que o Cruzeiro mais foi dependente em 2018. Hoje, por motivos diferentes, ambos não estão figurando entre os prediletos de Mano Menezes. O uruguaio deixou o clube pela porta dos fundos e rumou para o Flamengo. Já Thiago foi desejado no Corinthians e Grêmio, e preferiu ficar, mas ainda não se livrou do departamento médico, e tem sido pouco acionado pelo treinador. Mas quem imaginava um início de ano com a Raposa carente dos seus principais atletas do ano passado vem se enganando. Apesar de estarem no clube há pouco mais de três meses, alguns novatos já estão provando que podem dar conta do recado, e até se tornarem os novos pilares da equipe.

Nas últimas semanas e meses, o técnico Mano Menezes e seus jogadores citaram a maneira simples e bem estruturada de jogar do Cruzeiro. Na prática, isso auxilia na rápida adaptação de jogadores recém chegados. A começar por Rodriguinho. Ele tem sido testado no time principal e mostrou rápido entendimento com os atletas do setor ofensivo. Na única partida celeste da Libertadores até aqui, foi dele o gol da vitória marcado contra o Huracán.

Quando Rodriguinho chegou ao Cruzeiro, muito se falou sobre a futura "dor de cabeça" de Mano para escalá-lo junto com Thiago Neves no time titular. Até o momento, isso ainda não foi possível devido à série de problemas médicos do camisa 10. Mas o status de Rodriguinho mudou desde então. Com poucos jogos, o meia encaixou muito bem na equipe, caiu nas graças da torcida e agora é ele quem é considerado um dos jogadores fundamentais do time.

Outro que vem se destacando é Marquinhos Gabriel. Apesar de não ter lugar cativo no time, o meia já tem colecionado elogios importantes devido às características raras no plantel. A principal delas pode ser a qualidade praticamente impecável para encontrar seus companheiros. No triunfo por 3 a 0 contra o Tupi, Marquinhos entrou no final do primeiro tempo e passou a organizar as principais chances do time na etapa final sem errar um passe sequer.

Vale lembrar ainda que a intenção da diretoria ao contratar Marquinhos era resgatar suas boas atuações pelo Santos. Por também poder jogar pelo lado esquerdo, ele foi taxado como substituto de Arrascaeta, o antigo dono da posição, comparação rechaçada pelo clube e por Mano. As características de um velocista estão mais presentes hoje no garoto David, o que o credencia a ser um dos postulantes à vaga. Mesmo assim, Marquinhos já começa a incomodar o suficiente para deixar um mistério sobre a futura formação no setor ofensivo.

A capacidade de dar mais amplitude à equipe, sua multifuncionalidade e os poucos erros em campo, como já mencionados, deixam Marquinhos forte na briga e o fazem parecer como um jogador já utilizado há bastante tempo. "Pelo conjunto da obra, a equipe é muito bem montada, já tem uma base dos outros anos. É só chegar, ajustar algumas coisas. A gente já sabe o que o Mano quer como equipe, é só colocar em campo o que sabemos que as coisas dão certo", disse o jogador.