Topo

Esporte


Rummenigge não fecha as portas para Mundial de Clubes com 24 equipes

17/03/2019 16h57

Berlim, 17 Mar 2019 (AFP) - O homem forte do Bayern de Munique, Karl-Heinz Rummenigge, se mostrou aberto neste domingo (17) a debater a opção de um Mundial de clubes com 24 equipes, dois dias depois do veto ao projeto por parte da Uefa e da associação de clubes europeus (ECA), à qual o Bayern pertence.

"O atual Mundial de clubes em dezembro é um contrassenso", afirma o ex-craque Rummenigge em uma entrevista no jornal FAZ de Frankfurt. "Entendo que a Fifa queira agora reformular esta competição".

Mas esta semana, a ECA ameaçou boicotar essa nova Copa do Mundo, um projeto defendido pelo presidente da Fifa, Gianni Infantino.

"Acho que Gianni Infantino se equivocou ao não chegar a um acordo prévio com a ECA e com (seu presidente) Andrea Agnelli", respondeu Rummenigge ao ser perguntado sobre a atitude dos clubes europeus. "Isso gerou essa posição pública na defensiva. Eu lamento e não aprecio que entre a Fifa, a Uefa e a ECA não haja uma base de debate positivo".

Mas Rummenigge estima que a ECA deverá ter uma palavra sobre a divisão de dividendos desta nova competição. "Ouvi dizer que uma parte dos lucros iria para as federações nacionais (...). As contribuições solidárias devem ir para as ligas e seus clubes, isso é evidente. Afinal de contas é uma competição disputada por clubes".

O dirigente do Bayern, eliminado nas oitavas de final da 'Champions' pelo Liverpool, simpatiza com a ideia de que esta Copa do Mundo possa substituir a Copa das Confederações no calendário. "Sempre pedem para que nossos jogadores sejam colocados à disposição, sem que obtenhamos nenhum benefício como clube", protestou.

A Alemanha conquistou a última Copa das Confederações em 2017 na Rússia, vencendo o Chile por 1 a 0 na final.

cpb/mca/iga/mcd

ECA

Mais Esporte