Topo

Esporte


'Os Cruzados', um nome duro de defender para a equipe de rúgbi de Christchurch

18/03/2019 13h37

Christchurch, Nova Zelândia, 18 Mar 2019 (AFP) - A equipe de rúgbi neozelandesa dos Canterbury Crusaders -Os Cruzados de Canterbury- anunciou que consultará os representantes da comunidade muçulmana do país sobre uma possível mudança de nome, depois do chacina de 50 pessoas em uma mesquita cometida por um supremacista branco na última sexta-feira.

Não é a primeira vez que o nome do atual bicampeão do Super Rugby levanta questionamentos. Agora, se vê mais contestado que nunca, após o massacre na grande cidade da Ilha do Sul da Nova Zelândia.

O autor do ataque foi o extremista australiano Brenton Tarrant, que justificou seus atos com um manifesto de 74 páginas repletas de comentários racistas e islamofóbicos.

As armas que usou estavam cobertas de referências às Cruzadas, as sangrentas campanhas realizadas na Idade Média por exércitos cristãos da Europa para retomar o controle da Terra Santa dos muçulmanos.

"No que diz respeito ao nome dos 'Crusaders', entendemos as preocupações que existem agora", declarou em comunicado o diretor-geral do clube, Colin Mansbridge.

- 'História de um genocídio' -"Do nosso ponto de vista, é uma conversa que temos que ter e tomamos nota de todas as sugestões que nos dão", completou. "Contudo, também acreditamos que agora não é o momento de fazê-lo", continuou.

"No momento oportuno, examinaremos com atenção as questões que pairam no ar e responderemos. Isso envolve conversas com várias pessoas, inclusive com a comunidade muçulmana", detalhou.

Canterbury é a grande planície costeira ao redor de Christchurch e os 'Crusaders' são a equipe mais vitoriosa do Super Rugby, a prestigiosa competição que inclui equipes da Austrália, África do Sul, e Japão, além dos Jaguares argentinos. A escolha desse nome foi feita em 1996.

"Nossa imagem é única no mundo do esporte; com as espadas, os cavalos, os castelos e a melhor equipe de rúgbi do mundo", explica o site do time.

O tema musical que identifica a equipe é 'Conquest of Paradise', a canção de Vangelis que fez parte da trilha sonora original do filme de Ridley Scott '1492: A Conquista do Paraíso', um referência histórica incontestável.

- Williams, 'cruzado' e muçulmano -Para o historiador Peter Lineham, da Massey University, o termo 'Cruzaders' não foi uma escolha apropriada, porque se refere à "história de um genocídio".

"Os horrendos relatos das incursões sangrentas nas Cruzadas, em particular em Jerusalém, onde chegaram em 1099, deixaram uma marca inapagável na história mundial", explicou à rádio New Zealand.

O símbolo dos Canterbury Crusaders é um cavaleiro e sua espada. E quando a equipe joga em casa, são organizados espetáculos antes das partidas, com cavaleiros vestindo a indumentária das Cruzadas exibindo as armas.

"Toda invocação à imagem das Cruzadas implica a ideia de uma incursão para dominar e submeter outro povo. A violência não tem nada a ver com o que significa o rúgbi", completa Lineham.

Um dos jogadores mais famosos a vestir a camisa vermelha e preta dos Crusaders é Sonny Bill Williams, que se converteu ao islã em 2009. Até hoje, é o único muçulmano a ter jogado pelos famosos All Blacks, a seleção de rúgbi da Nova Zelândia.

Somente 1% da população do país se considera muçulmana.

ecl-th-jac/pm/am

Mais Esporte