Topo

Esporte


Número 1 do ranking, 'Formiga' revela por que colocou 'title shot' em risco

Felipe Paranhos, de Fortaleza (CE)

Ag. Fight

31/01/2019 11h14

Jussier 'Formiga' é o atual número 1 do ranking dos pesos-moscas (57 kg) e seria naturalmente o próximo na fila para disputar o cinturão da categoria. No entanto, apesar da posição cômoda dentro da organização, o brasileiro resolveu aceitar um duelo contra o compatriota Deiveson Figueiredo e, assim, colocar seu praticamente garantido 'title shot' em risco.

Durante entrevista exclusiva à equipe da Ag Fight direto de Fortaleza, o atleta da 'American Top Team' revelou o motivo que o fez assinar o contrato para encarar o 'Deus da Guerra'. De acordo com Jussier, o tempo inativo poderia pesar contra em um possível duelo contra o atual campeão Henry Cejudo. Logo, o brasileiro - que não luta desde o início de outubro do ano passado - aceitou a proposta do Ultimate para se manter em forma.

"Então, na real eu estava esperando a luta do Cejudo contra o TJ (Dillashaw) para a gente ter uma posição. Aí nessa semana da luta do TJ com o Cejudo eles me ofereceram a luta com o Deiveson. Olhei para o ranking, tinha lutado só em outubro, e se eu esperasse pelo Cejudo, talvez esperasse muito tempo. Achei que era uma luta boa para mim, então acabei aceitando o desafio. Infelizmente é um brasileiro, mas a gente estava na rota de colisão ali no top 5 e infelizmente temos que lutar, mas é isso aí", revelou o potiguar, antes de garantir que o vencedor do duelo lutará em seguida pelo cinturão dos moscas.

"Claro, não tenho dúvidas disso. Não posso fugir dessa possibilidade. É uma luta de 'title shot', o número 4 contra o número 1. Então o possível vencedor dessa luta deve lutar pelo título, e tenho certeza que a atenção vai estar muito voltada para essa luta, tanto do público quanto da organização. E como falei, vou fazer um grande trabalho para sair com o resultado positivo e obter minha chance de enfim lutar pelo título", completou Formiga.

O confronto entre os brasileiros do pelotão de elite dos moscas está agendado para o dia 23 de março, em Nashville (EUA). Formiga, inclusive, já começou sua preparação e treina diariamente visando seu próximo adversário. O número 1 do ranking também comentou sobre a situação atual de sua categoria de peso e admitiu que na disputa de cinturão do início do mês, ele escolheu um lado para torcer.

"De certa forma, sim (torci para o Cejudo). A mídia especulou muito isso, que a divisão iria acabar. Mas no final de tudo, o UFC me deu uma posição de que a divisão continuava em 2019. Então tinha certeza que - não contava com o resultado dessa luta - a divisão ia continuar. Mas com certeza o Cejudo ter vencido foi muito bom para a divisão da gente. Bateu o TJ, que é um cara muito bom no peso-por-peso, estava numa posição muito boa (no ranking geral dos lutadores do Ultimate). Acho que isso só fortalece a nossa divisão, para que a gente possa crescer mais e mostrar para o público que temos potencial para crescer como qualquer outro atleta de outra divisão", opinou o lutador de 33 anos, que está ajudando a peso-mosca (57 kg) Mara Romero Borella, adversária de Taila Santos no UFC Fortaleza, neste sábado.

Embalado por três vitórias consecutivas, Jussier pretende coroar sua caminhada rumo ao título com um triunfo diante de Deiveson. No entanto, a missão do potiguar não será nada fácil, já que o 'Deus da Guerra' nunca foi superado dentro de um octógono em 15 combates feitos como profissional de MMA até então.

Esporte