Topo

Esporte


Acusado de agressão e assédio sexual, Turan começa a ser julgado na Turquia

30/01/2019 09h44

Istambul, 30 jan (EFE).- O julgamento do meia turco Arda Turan, que pode receber uma pena de três a 12 anos e meio de prisão por agredir um cantor em uma boate, começa nesta quarta-feira, em Istambul.

O jogador, que está emprestado pelo Barcelona ao Basaksehir, é acusado de "assédio sexual", "lesões propositais com fratura de osso", "disparos com arma de fogo de modo que pode produzir medo ou pânico" e de portar armas sem licença.

Segundo a versão dos fatos divulgada pela imprensa turca, uma briga aconteceu depois que o jogador se aproximou da esposa do cantor Berkay Sahin, Özlem Ada Sahin, com uma atitude de assédio.

"Você é muito bonita. Se não fosse casada, não te deixaria escapar", disse o jogador à esposa do cantor, de acordo com Berkay Sahin.

Foi aí que começou a briga. Turan quebrou o nariz do cantor, motivo pelo qual Berkay Sahin e a esposa foram a um hospital próximo. O jogador apareceu no hospital mais tarde, aparentemente para pedir desculpas a Sahin, ofereceu uma pistola ao cantor e afirmou: "Atire em mim se quiser".

O cantor pegou a arma, mas, após uma conversa, Turan tomou a pistola e atirou em direção ao chão, causando um tumulto no hospital. Ninguém ficou ferido.

Berkay Sahin também é acusado pelo crime de insultos e pode receber uma condenação de três meses a dois anos de prisão. Ao comparecer ao tribunal, Arda Turan declarou que recebe mensalmente cerca de 50 mil euros.

O Basaksehir, que atualmente lidera o Campeonato Turco, já multou Turan em outubro do ano passado em 370 mil euros por "atitudes não compatíveis com a ética e o conceito profissional do clube", mas anunciou que o manterias em ativividade até a sentença judicial. EFE

Esporte